Amélia Maravilha

Amélia Maravilha - Capa

Eu tenho orgulho de ser mulher e olha, não é nada fácil. Sou de uma geração de mulheres que denomina de AMÉLIAS MARAVILHA. Sim, é uma mistura de Amélia e Mulher Maravilha.

A Amélia Maravilha é dona de casa, chefe de família (Segundo o IBGE, em 2015, 40,59% dos domicílios tem a mulher como referência), ela trabalha fora cuida dos filhos, da casa e dela mesmo (do jeito que dá).

Ela é forte, ou pelo menos, é o que todos acham.

Amélia Maravilha - Super mulher!

Eu fico imaginando o conceito de mulher forte. Fiz uma pesquisa em minhas redes sociais e aqui estão algumas das respostas:

“Pra mim uma mulher forte é uma mulher que se ama… Uma mulher que tem coragem de seguir seu próprio caminho com amor. =)” (França, Bianca).

“Um pleonasmo. (…) Toda mulher é forte. É a mesma coisa de dizer entrar pra dentro” (Jacinta, Lúcia).

“Uma mulher que não vive para agradar aos outros e sim para se agradar. Uma mulher que se conhece.” (Rezende, Sofia).

“É uma mulher que se identifica não com suas particularidades, mas com o fato de ser um ser humano que tem consciência plena de suas necessidades e deveres diante de situações cotidianas e sentimentos. Uma mulher forte é aquela desapegada de escudos e lanças em detrimento à resolutividade que as situações prescindem.” (Gonçalves, Eduardo).

“Você” (Sidônio, Carla) (coisa linda de se ler <3).

Eu venho de uma linhagem feminina linda que “tá” sempre com um sorriso no rosto e um colo pra dar, e que quem vê o sorriso delas não acreditaria se eu começasse a contar cada um dos milhares de abusos que sofreram/sofrem. Eu nasci da força delas. Então, pra mim força e mulher são sinônimos.(Stoppa, Shantal)

“Minha mãe! É uma mulher de fibra, não preguiçosa q corre atrás da sua independência.” (Marconi, Guilherme).

Caso alguém mais responda, eu vou colocando aqui com o tempo.

Mas agora, vou contar a vocês, algumas coisas que muitos não sabem, outros ignoram, sobre a Amélia Maravilha.

1 – Elas choram!

Outro dia, em uma brincadeira entre amigos, eu falei a uma amiga:

“Se você falar assim comigo e eu estiver na TPM, eu choro”.

Ela:

“Mas você chora?”

E esta foi uma pergunta séria. Sim, eu choro e confesso que choro muito e em algumas fases por coisas bobas, até com a previsão do tempo.

Ninguém é forte o tempo todo. Temos fraquezas, sentimentos… Pasmem! Temos muitos sentimentos, como qualquer outro ser humano.

Amélia Maravilha - chora

2 – Elas precisam de carinho e atenção.

Quando as pessoas veem ou titulam uma mulher como forte e independente, acham que elas não precisam de nada, que são “autossuficientes”. Ah, como eu odeio essa palavra. E sim, meus caros, elas precisam de carinho, de atenção e de todos os cuidados possíveis.

Amélia Maravilha - ame-a

“Isso é coisa de mulherzinha, não combina com você”. Quantas de vocês, mulheres, que estão lendo este texto já escutaram essa infeliz frase?

Para quem fala esse tipo de coisa a uma mulher, eu digo: NÒS SOMOS MULHERZINHAS! Toda mulher gosta de algum tipo de “mulherzisse”. Ela gosta de ser cuidada e se sentir amada e por isso, ela cuida de todos e os fazem sentir amados.

Retribua tudo que ela faz para você e por você, dê à sua Amélia Maravilha o direito de mostrar toda sua fragilidade e doçura.

3 – Ela não tem que dar conta de tudo sozinha.

Uma das coisas que mais admiro nas mulheres é a versatilidade. A Amélia Maravilha consegue fazer várias coisas ao mesmo tempo, ela e multitarefas ou seria “multimulher”?

Só que, isso não quer dizer, que ela TENHA que fazer tudo sozinha. Ela precisa de ajuda e muitas vezes, por estar tão acostumada com isso, que não sabe pedir ajuda. Não espere que ela peça, ajude!

Divida com ela as tarefas DA VIDA. Apoie, converse, ofereça ajuda! Não importa quem esta mulher seja (mãe, irmã, tia, sobrinha, amiga, avó), ajude-a!  Algumas vezes, o simples fato de você demonstrar preocupação e que quer cuidar dela, já é uma ajuda.

4 – Ela se cobra demais.

Amélia Maravilha - o mundo é duro!

 

Toda Amélia Maravilha, acha que tem que ser perfeita em tudo e por isto, se cobra demais. Então, respeite o dia que ela quiser ficar de moletom e descabelada ou o dia que ela burlar a dieta.

Respeite as unhas por fazer ou quando a depilação não estiver em dia.

Peça a comida preferida dela ou faça o almoço/jantar, quando ela não estiver a fim de cozinhar. Mostre a ela, que ela não precisa ser perfeita para ser aceita e amada.

A Amélia Maravilha é dona de casa, empreendedora, executiva, faxineira, gari, secretária. Ela é negra, branca, amarela, mulata, morena e índia. Ela é doce, amarga, delicada, mandona, orgulhosa e brava.

Ela é católica, kardecista, umbandista e evangélica. Ela tem cabelos lisos, crespos, anelados, ondulados. Ela é gorda, magra, sarada e flácida. Ela é alta e é baixa. Ela está em todos os cantos do nosso planeta.

Ela merece ser respeitada e principalmente, merece ser cuidada e amada.

E o amor, meus queridxs, está em todos os detalhes. Em todas pequenas ou grandes ações do dia a dia. Está em tudo que ela faz. Você deveria aprender com ela.

 

E para você, Amélia Amélia Maravilha, que está lendo esse texto, não tenha vergonha de ser quem você. Não aceite menos do que você merece. Se aceite, com todas suas qualidades e defeitos.

Amélia Maravilha - Ame você!Se ame tanto quanto você ama os outros e muito mais. Cuide de você, viva para você e por você. Não se cobre tanto, você é mulher, mas não tem que ser a Maravilha o tempo todo. Se permita se cuidada, mimada, amada. Exija isso. É o mínimo que podemos fazer por nós.

Adeus 2017, gratidão!

 

Chegou a hora de dar adeus. Adeus 2017!

Eu não consigo definir meu ano em uma palavra. Sou uma pessoa que fala. Taurina falante? Sim, sou eu! Mas este ano descobri que passei uma vida enganada! Todos os sites astrológicos falavam que meu ascendente também era touro, mas não minha gente, meu ascendente é em gêmeos e Lua em Leão. Então serão muitas palavras para definir o ano. A primeira: DESCOBERTA.

Descobri que nunca sabemos de tudo, muito pelo contrário, não sabemos de nada. Não importa se você 10, 20, 30 ou 60, sempre estaremos descobrindo algo novo, na vida ou em nós mesmos!

Descobri tanta coisa, tantas pessoas. Descobri que eu não sou a única louca do mundo, que tem uma galera que é tão louca como eu e todos nós acreditamos em um mundo melhor.

Descobri que as pessoas podem me enganar, afinal, até eu me engano. Não, espera! Isso é passado, eu me enganava! Agora tenho um trato comigo, só vivo e aceito a verdade. Mas também descobri que as pessoas podem ser boas e que elas nem sempre são as que considero “amigas” e as que de chamo de “amigas” podem e vão me magoar.

 

Não, não foi um ano fácil. Então vamos à segunda palavra: LUTA!

Foi um ano que lutei muito e lutei bravamente… Contra eu mesma. Lutei para me entender, para focar, para mudar, para me aceitar.

Junto com a LUTA, veio outra palavra: AUTOCONHECIMENTO.

Sim, foi um ano que me REconheci. Foi um ano que resolvi olhar para mim. Foi um ano que descobri tanta coisa sobre mim que eu não tinha ideia. E olha, se você acha que me conhece, esquece! Se eu não me conhecia direito, como você pode conhecer? Mas este assunto será pauta para o primeiro texto do próximo ano.

E também, foi um ano de TRANSFORMAÇÃO.

Vi de camarote minha vida se transformando e eu, bom, eu estava ali, colada nela. Vi o mundo se transformando, buscando melhorar. Vi lutas alheias se transformando em minhas, pelo simples fato de eu amar os meus, sejam eles amigos ou parentes.

Também foi um ano de CONEXÕES e REconexões.

Foi um ano que me conectei com pessoas tão maravilhosas e me reconectei com outras espetaculares. Mas principalmente, estou reconectando comigo, com minha essência, com minhas virtudes e minhas crenças.

E por fim, a última palavra, mas a mais importante: GRATIDÃO

Não, não foi um ano fácil, mas sou muito grata a ele. Tenho certeza que ele veio me sacudir, me acordar, me ensinar e principalmente, me preparar para não só um ano, mas uma vida melhor.

E para 2018? Bom, não vou fazer metas ou planos. Vou viver, afinal, é para isso que estamos aqui, não é?